O mundo não acabou, mas desastres realmente acontecem.

Bem, aparentemente os Maias são o mais novo membro do clube dos Profetas do Apocalipse que erraram a mão em sua previsão. Ok, isso não é novidade, desde por volta do ano 400 com Hilário, bispo de Poitiers, passando pela época de Melchior Hoffman não existe mais exclusividade. O clube aceita basicamente qualquer um que clame seu lema: “The end is near!“.

Bem vindo ao clube!
– Meu caro Maia! Seja bem vindo ao clube!

Claro – como era de se esperar – não foi pequena a quantidade de pessoas que levou a sério a previsão dos Maias, se preparou para o pior e chegou ao ponto de lotar cidades como Bugarach na França onde daqui a pouco extraterrestres devem passar para coletar sobreviventes da humanidade a polícia está tendo bastante trabalho para controlar o fluxo exacerbado de visitantes. Ah, nada vende tão bem como o fim do mundo!

Gesto de Riscos, Crises e Desastres

Bem, para nossa alegria o mundo não acabou, mas se você já atuou em áreas como Gestão de Riscos, Continuidade de Negócios ou mesmo Segurança da Informação, sabe como é fácil se sentir um Profeta do Apocalipse anunciando corporativamente a eminencia de um possível desastre.

Previsão: Crise a frente!
Previsão: Crise a frente!

Ah, diferente dos Maias, seguimos utilizamos metodologias quantitativas e qualitativas para identificar, analisar e classificar o nível de risco e identificar a melhor opção de tratamento, mas aparentemente o método científico é bem menos interessante que a prática da profecia, já que boa parte dos gestores ainda prefere simplesmente ignorar resultados da análise de riscos e adotar a atitude de achar que o “isso não vai acontecer em nossa empresa”.

Crises são bastante reais e quando uma organização não está preparada para lidar adequadamente com esta situação o único resultado é o desastre como nos casos do muro de uma fábrica em Sorocaba que desabou e matou pelo menos sete pessoas ou da explosão em uma delegacia em Maceió que vitimou uma policial e deixou mais quatro feridos e me lembrou um post bem antigo de um caso parecido em Recife, felizmente sem vítimas fatais.

Muro desaba em Sorocaba - Sete vítimas fatais
Muro desaba em Sorocaba – Sete vítimas fatais

Felizmente, ao contrário do Apocalipse Maia, temos ampla evidência da necessidade de uma gestão efetiva e com uma abordagem holística para tratar todos os riscos a Continuidade do Negócio e os últimos anos vem mostrando que a alta direção está dando cada vez mais atenção e recursos para GRC.

Se você ou sua organização ainda não acreditam nisso, tenho apenas uma declaração: “The end is near!”.

Profissional de GRC
Profissional de GRC

 

 

Comentários

Comentários